HOME|NOTÍCIAS|Pedro Antonio diz que Abad "rasga estatuto" e suspeita de "acordo político" com trio no Fluminense
Debate • Por Felipe Siqueira — GloboEsporte.com - Foto: Nelson Perez / Divulgação • 03 jan 2019
Pedro Antonio diz que Abad "rasga estatuto" e suspeita de "acordo político" com trio no Fluminense

Um dos convidados da reunião com figuras importantes do Fluminense onde o presidente Pedro Abad apresentou sua proposta para reduzir o mandato, Pedro Antonio fez críticas à decisão do mandatário em convocar a Assembleia Geral na qual os sócios votarão a mudança no estatuto do clube para antecipar a próxima eleição.

O ex-vice de Projetos Especiais - demitido pela atual direção em 2017 - se disse a favor da saída de Abad do cargo, mas através de uma renúncia, e classificou a Assembleia como "rasgar o estatuto".

- Sou a favor da saída do Abad? Sim. Mas a maneira como ele tem que sair é renunciando. Ele renuncia e ponto final. Acabou. Por sinal, já deveria ter feito isso antes. Sou contra rasgar o Estatuto. E a modificação que existe foi realizada pela Flusócio. Então eles deveriam se auto respeitar.

Pedro Antonio se baseia no artigo 150 do Estatuto do Fluminense, que diz que “as normas estatutárias que não decorram de estrita observância da legislação e que sejam referentes às regras eleitorais somente produzirão efeitos a partir do período de mandato presidencial e legislatura do Conselho Deliberativo seguinte ao da sua aprovação”. Abad, na convocação da Assembleia, argumenta que este item “possui exclusiva finalidade de evitar alterações estatutárias de caráter antidemocrático”.

O responsável pela construção do CT tricolor disse acreditar que a forma como o mandatário está costurando a saída seria um modo de continuar a ter influência no clube. Ele lançou também suspeitas de um “acordo político” de Abad com a aliança formada por Mario Bittencourt, Ricardo Tenório e Celso Barros.

- Se ele entende que quer sair, se acha melhor para o Fluminense, não tem que ficar negociando nada. Ele está usando a saída para continuar mandando. Aparentemente tem um acordo político dele com o famoso triunvirato. Isso foi o que assisti na reunião. Nunca vi tanto sincronismo como esse. Não sei qual é a moeda de troca que eles estão dando para ter esse sincronismo. Não sei se é manutenção de cargo, de pessoas, de privilégios… Deve ter alguma moeda de troca para essa rasgação de Estatuto.

Pedro Antonio cobrou que Abad mostre a realidade financeira do Fluminense ao próximo mandatário.

- O mais importante nesse processo, e que ele não fez ainda é: demonstrar a realidade financeira do Fluminense para quem possivelmente venha a assumir. Porque senão daqui a pouco vamos ter outro presidente que vai dizer “eu não sabia de nada”. Se ele passou os últimos dois anos se queixando da caixa-preta que ele encontrou, então a primeira coisa que ele deveria fazer agora seria mostrar os números. Pelo visto, vamos ter um novo presidente que vai assumir sem conhecer os números. Isso que era o mais importante. Se ele passou dois anos reclamando que não tinha transparência, que não sabia dos números, está na hora de não fazer o mesmo papel.

Perguntado se irá se candidatar em caso de os sócios do Fluminense votarem pela antecipação das eleições, Pedro Antonio não confirmou:

- Vou pensar diante do cenário. Mas o mais importante não é o Pedro Antonio ser ou não ser candidato. O mais importante é que não se cometam os mesmos erros que se cometeu no passado. Para que não escutemos o mesmo choro que escutamos nos últimos mandatos. O Peter quando assumiu viu uma situação que aparentemente era catastrófica, talvez não soubesse que era tanto. O presidente Abad assumiu dizendo que não sabia nada do mundo real que havia por trás. Todo mundo reclama do mesmo problema e continua cometendo o mesmo erro? Ou pelo menos o grupo que está afinado com ele já sabe tudo...

 

Compartilhe
  • Googlemais
comente
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE